29 de ago de 2010

Pessoas Quadradas


Existem pessoas que vivem dentro de seus quadrados. Não conseguem ir além dos contornos e aprisionam quem, por acaso ou por inocência, entrou para lhes dar alimento
Por que complicar tanto a vida, fazendo de conta que tudo tem lógica. A vida é tão intensa e cheia de aventuras. E, elas insistem em seus temores e crenças. Agarram-se aos seus botes e jamais se lançam ao mar de ondas espumantes. Não se lançam ao erotismo. insistem em manter as fisionomias fechadas e os corpos encapsulados.As costas eretas desfilam superficialmente sem se aprofundarem. Tornaram-se encouraçadas, sem emoção e sem pele. A inteligência  é um banco de dados. Não sabem o que é conversa fiada e não tocam as diferenças que taz com que o universo humano seja tão rico. São pessoas que não conseguem existir.Não sabem dançar.Quero chamá-las, gritar seus nomes, estender minhas mãos e  ajudá-las a terem mais coragem. Ultrapassar é preciso para termos mais felicidade. Não ousam perguntar porque querem controlar as respostas.Viver não requer explicações. Precisa- se de habilidade que só se adquire nos atalhos das rotas pré-estabelecidas. Machucar os pés descalços nas pedras e arranhar os joelhos na areia. Tudo faz parte de um todo que pulsa porque vive. Precisam sair na chuva e se molharem. Precisam relaxar. Entrega é como a flor que se abre para receber o que vem da natureza porque a ela pertence. Não compreendo o excesso de opiniões irrefutáveis.Elas me dão tédio. São tão previsíveis. Quero entrar nessas caixas, bagunçar suas gavetas, despentear seus cabelos. Gostaria de ver mais emoção nos rostos endurecidos, mas que não fossem apenas de raiva. Gostaria de ouvi-las dizer: me pega!!!

Marisa Speranza

Um comentário:

Fabio Rocha disse...

Estamos indo na mesma direção. ;)