20 de jan de 2009

De mãe para filhos I

Há qualquer momento, posso morrer. Tenho tantas coisas a dizer. Muitos livros para indicar; minha biblioteca é vasta. Tantos filmes a compartilhar. “O Poderoso chefão”, é um clássico. Muito a aprender; quantas sutilezas, valores e desconstruções. Tenho muita estória pra contar, mas as melhores giraram em torno de meu avô e minha mãe. Quero, no momento, deixar registrado que o bom humor, ainda é a melhor arma para se viver. Nem sempre devemos levar, a sério, as pequenezas da vida. O que vale é o resultado final. Por outro lado, honestidade e integridade ainda fazem parte do meu cardápio. Já sofri muito por minha franqueza. E, tenho um excesso de generosidade, que pode parecer arrogância, mas tô me lixando.Entendo o conceito como ética. Se, penso numa palavra, associo à outra. Respeito por horários, contratos e promessas são tudo que valorizo, além das amizades. Por outro lado, sempre fiquem atentos à demagogia. Existem muitos interesseiros. Sou da época, que fazer bem era um bem. Continuo assim. Controlo as pessoas com as palavras e atitudes.Quem souber olhar de perto, verá que sou pessoa legal. Nada de bem ou de mal; isso varia, de acordo com as perspectivas. Não julguem, não falem mal. Fiquem antenados. Não fujam de um olhar. E, o aperto de mão precisa ser forte. Solidez do pensamento requer requinte. São estradas percorridas de lembranças com afeto e aprendizados do dia-a-dia. A vida é sempre bela, mesmo quando estamos sofrendo. Daqui a um tempo, estaremos juntos, de alguma forma. Espero, que a morte seja repleta de significados. Quanto sentido existe em meu ser. Como amo vocês, criaturas do devir, do futuro. Sei que muita água rolará. Não percam o farol de vista, suas referências. Cada um de nós, cantarola uma música; ela diz tudo a nosso respeito. Mude o refrão, reinvente e crie novas melodias. Tenho tanta coisa a dizer. Uma delas é a respeito do amor, seja de onde vier. Paciência, compreensão, paixão e amizade formam um ótimo ingrediente. Hoje, estou simples. Falo direto, sem palavras rebuscadas. Hoje, escrevo apenas para vocês, meus filhos queridos.
Marisa Speranza

Um comentário:

Ana Paula Sampaio disse...

Marisa, fiquei emocionada... Lindo texto, parabéns pela coragem de revelar tanto de ti aos teus filhos!

beijos!