15 de mar de 2009

Amantes

Lucia deixou seu quarto, bateu a porta e saiu. Seus óculos escuros, no dia de calor quente, escondiam seus belos olhos azuis. Com sua roupa elegante, com ares de dona de si, sabia que o encontro seria perfeito. Seu carro mostarda,do ano, pequeno e veloz dizia a que classe pertencia.Usando pequenos brincos de ouro e apenas um relógio não deixava de brilhar. Chegou ao restaurante, pediu que o manobrista estacionasse seu carro e entrou. Retirou os óculos, olhou à volta e o viu numa mesa do canto. Todos a olhavam quando ela passou. Com uma pequena mordida na orelha esquerda, denunciou sua presença. Fôra recebida com um sorriso encantador. Todas as tardes de quarta-feira se encontravam. Eram simples amantes, casados com outras pessoas, infelizes, descontentes. Seu romance já durara quatro anos e sempre foi feliz. Tantas vezes sofreram porque pensavam que pudessem viver juntos. Mas, sabiam que não. A vida não lhes deu permissão. Resignados e apaixonados, viviam seu dia, por inteiro. Se tocavam, se olhavam profundamente e se beijavam. Almoçavam sob risos e conversas. Saboreavam a sobremesa e iam para um motel para se amarem. Suas peles sensíveis mostravam suas carnes, abertas, fecundas e quentes. Tudo era amor. Tudo era verdadeiro. Sempre se perguntavam quando aquilo terminaria. Sentiam medo ,mas preferiam saborear os cheiros deixados nos lençóis. Cheiro de sexo, amor, arrebatamento. Suas línguas pegavam fogo e,como animais, se acabavam loucamente. Hora de ir embora. Uma suave bruma de nostalgia se instaurava no quarto. Um suspiro longo encerrava o que não era dito, mas sabido. Tinham que voltar para seus mundos reais. Sorriam porque a próxima quarta está próxima. Enquanto Lucia retornava para sua casa pensava: O amor não deveria ser julgado. A maioria das pessoas não compreende a força do desejo e do compromisso. Prefere banalizar e dizer que é uma questão de caráter. Pessoas são complexas, presas a seus destinos e às suas pequenas tentativas de liberdade. Deixe os amantes se amarem.
Marisa Speranza

2 comentários:

Eliane Accioly disse...

Marisa,

senti saudades e vim te visitar. É isso aí, deixa os amantes se amarem.
Me vi neles.
Bjs,

Eliane

tati-youtube disse...

Poderíamos fazer um aplicativo no facebook com esse nome: Deixa os amantes se amarem.

Que delícia, que tudo! Que tudo!